Ação tardia


Plano de Dilma para controle das fronteiras tentará corrigir omissão de Lula, diz Macris

O PSDB sempre teve um projeto mais claro para a segurança pública do Brasil. Essa é a afirmação do deputado Vanderlei Macris (SP) diante da decisão do governo federal de gastar R$ 10 bilhões para controlar as fronteiras do país. O tucano lembrou que esta foi a principal proposta do partido para o setor durante todo o debate eleitoral de 2010. Segundo o jornal “Folha de S. Paulo”, o Exército negocia a compra de um moderno sistema de monitoramento, mas que ficará pronto só em 2019.

Para Macris, essa iniciativa tardia da presidente Dilma sinaliza que os tucanos tinham razão em propor um forte esquema de monitoramento para evitar a entrada de armas, drogas e contrabando em solo brasileiro. “Esse anúncio confirma que o Brasil estava absolutamente aberto,  permitindo uma atuação mais robusta do crime organizado no país”, ressaltou o deputado nesta terça-feira (25).

Ainda de acordo com a reportagem da “Folha”, o Ministério da Defesa pretende ampliar de 21 para 49 os Pelotões Especiais de Fronteira.  Ao que parece, a gestão petista descobriu somente depois de oito anos que a porosidade das fronteiras, onde o Exército tem poder de polícia desde 1999, gera mais violência, principalmente nas grandes cidades brasileiras.

O deputado acredita que nesta área o governo Lula foi “deplorável”,  pois os anúncios de ações nunca saíram do papel.  No final de 2010, os jornais brasileiros publicaram dados que revelaram  informações da diplomacia norte-americana sobre o tema. Para o governo dos Estados Unidos, o Brasil é “peça central” na rota do tráfico de drogas no mundo, segundo uma série de telegramas enviados de diversas embaixadas dos EUA e vazados pelo site WikiLeaks.

Os documentos ainda mostram que o Itamaraty tinha informações precisas sobre o comércio ilegal entre Brasil e Bolívia, mas mesmo assim, não criou nenhuma ação ou acordo de cooperação para combater os traficantes da região. Em 17 de dezembro de 2009, um telegrama estima que 175 aviões suspeitos de carregar cocaína tinham cruzado a fronteira entre os dois países em apenas dois meses. “Lamentamos que o ex-presidente Lula só tenha feito um discurso vazio. Por isso, o Brasil pode ser considerado o país mais usado do mundo pelo tráfico de drogas e o contrabando de armas”, destacou Macris.

Reproduzir
baixe aqui

(Reportagem Artur Filho/Foto: Eduardo Lacerda/Áudio: Elyvio Blower)

Compartilhe:
25 janeiro, 2011 Últimas notícias Sem commentários »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *