Posição equivocada


Tucano pede anulação de decisão de Lula e cobra extradição de Battisti

O deputado eleito Fernando Francischini (PR) apresentou uma ação popular (ACO 1722) pedindo a anulação do ato da Presidência da República que rejeitou a extradição do ex-ativista italiano Cesare Battisti. De acordo com o tucano, a decisão do ex-presidente Lula foi equivocada e causa “grave crise diplomática com o governo da Itália”.

“Essa posição foi equivocada e com certeza abalou as relações diplomáticas entre Brasil e Itália, que são países irmãos. O Brasil solicitou a Itália a extradição do Salvatore Cacciola usando o mesmo acordo e agora se nega a extraditar um criminoso comum que cometeu crimes de homicídio e terrorismo naquele país”, criticou o futuro parlamentar nesta sexta-feira (7).

Segundo o tucano, a ação tem o objetivo de representar a população brasileira que está descontente com o asilo político do “criminoso internacional”. A ação será analisada pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF). “Acredito que o STF vai ratificar sua posição pela extradição do Battisti. A ação popular mostra a necessidade de anular a decisão ilegal do ex-presidente Lula, já que desobedece uma decisão do Supremo, a corte máxima do nosso país”, explicou.

Ao reforçar que a extradição foi aprovada pelo STF, Francischini disse que a rejeição viola a moralidade administrativa por ser “movida por pauta puramente ideológica” e desrespeita tratados e convenções internacionais ratificados pelo Brasil. “Não tenho dúvidas de que a decisão do governo federal foi ideológica e partidária ao proteger um criminoso internacional. Isso viola com certeza a moralidade administrativa. O ex-presidente teve uma moção ideológica e não uma posição de estadista”, avaliou o deputado eleito.

Reproduzir
baixe aqui

(Reportagem: Alessandra Galvão/ Foto:Divulgação/Áudio: Elyvio Blower)

Leia também:

Campeão de votos no Sul defenderá combate efetivo ao tráfico de drogas e de armas nas fronteiras

Compartilhe:
7 janeiro, 2011 Últimas notícias Sem commentários »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *