Líder do PSDB aponta projetos que deveriam ser votados até o fim do ano


Para Nilson Leitão, o Brasil tem pressa e o Congresso não pode parar por causa das eleições.

O líder do PSDB, deputado Nilson Leitão (MT), afirmou que a Câmara ainda tem uma série de obrigações a cumprir até o final do ano. Há vários projetos em tramitação que precisam avançar, inclusive aqueles que dão segurança jurídica e reduzem o tamanho da máquina pública, ressaltou em discurso na quarta-feira (10). 

A comissão especial da reforma tributária já está instalada e a proposta pode ser aprovada até o fim do ano, lembrou o deputado. O líder também ressaltou a necessidade de votação da proposta de redução da maioridade penal, que está parada no Senado há mais de dois anos, e a que aumenta pena para invasores de terra. O tucano citou, ainda, a proposta que trata do novo licenciamento ambiental. 

Reproduzir

No pronunciamento, Nilson Leitão destacou que a legislatura continua, e não há motivo para parar de trabalhar. Mesmo com as eleições em andamento, o Congresso precisa funcionar, alertou. “Nós não podemos estar de férias aqui”, disse o líder do PSDB. 

O tucano lembrou, ainda, que o país vive, até o fim do mês, a disputa em segundo turno para a Presidência da República e o governo de alguns estados. O que está em jogo é a expectativa do futuro e o descrédito com o passado, avaliou. Em sua vida parlamentar, Nilson Leitão combateu firmemente os desmandos dos governos do PT. “Quero um Brasil sem radicalismo, onde o direito de um acabe quando começa o direito do próximo. O Brasil da legalidade”, disse.

Após reunião nessa terça-feira (9), o PSDB decidiu não apoiar nenhum candidato no segundo turno e liberar os filiados nessa escolha. No discurso, Leitão reforçou que não vota no PT e prefere que o Brasil siga com Bolsonaro, mas sempre com segurança jurídica.

Confira abaixo trechos do discurso:

(Da redação/ Foto: Alexssandro Loyola)

Compartilhe:
10 outubro, 2018 Destaque3, Últimas notícias Sem commentários »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *