Parlamentares criticam abertura de disciplina com o tema "golpe de 2016" em universidades


Tucanos rebateram a tentativa de manipulação dos estudantes em duas instituições.

Integrantes da bancada do PSDB,  Rogério Marinho (RN) e Yeda Crusius (RS) criticaram a decisão de universidades públicas de ministrar cursos com o tema “golpe de 2016”. A disciplina “O golpe de 2016 e o futuro da democracia no Brasil” foi inicialmente ofertada pelo Instituto de Ciência Política da Universidade de Brasília. O Departamento de Ciência Política da Unicamp divulgou que planeja abrir curso semelhante. “A mediocridade de nossas universidades públicas se evidencia com este tipo de atitude”, disse Rogério Marinho.

O parlamentar tucano considera lamentável a decisão de diferentes universidades tratarem o processo de impeachment de Dilma Rousseff como um golpe. “Confundem liberdade de cátedra com liberdade de opinião e se colocam a serviço de visão de mundo que pretende fazer do Brasil uma república socialista bolivariana”, criticou Marinho.

A deputada Yeda Crusius protestou. Para ela, a sociedade não aceita mais esse tipo de manipulação contra os jovens. “Não ficarão falando sozinhos. No mundo da liberdade das redes, os argumentos fake (falsos) serão desmontados um a um”, reiterou.

Em fevereiro, o líder do PSDB na Câmara, Nilson Leitão (MT), já havia cobrado uma postura do Ministério da Educação em relação ao curso. Para ele, a universidade deve ter autonomia com responsabilidade. “Discussões como essa podem ser feitas em movimentos sociais e partidos políticos, mas dentro da universidade é uma irresponsabilidade enorme e falta de compromisso com a ética”, reiterou.

O programa da disciplina parece ter sido elaborado pelo Partido dos Trabalhadores. A apresentação do curso repete os termos usados por petistas, a exemplo de que o atual governo conduz a “uma agenda de retrocesso nos direitos e restrição às liberdades”, e que o curso fará uma reflexão sobre “as possibilidades de reforço da resistência popular e de restabelecimento do Estado de direito e da democracia a política no Brasil”.

(Ana Maria Mejia/ Fotos: Alexssandro Loyola)

Compartilhe:
12 março, 2018 Últimas notícias Sem commentários »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *