Reajuste sem justificativa


Para tucanos, aumento de tarifa dos aeroportos só deveria acontecer depois da melhoria no atendimento

Os deputados Ruy Carneiro (PB) e Alfredo Kaefer (PR) condenaram nesta segunda-feira (14) o reajuste nas taxas de embarque dos principais aeroportos do país. A partir de hoje, o passageiro vai pagar R$ 20,65 em voos domésticos e R$ 67 nos internacionais, além do valor normal da passagem. Para os tucanos, o reajuste ocorre num momento em que os usuários não veem qualquer contrapartida em termos de conforto ou melhoria dos serviços nos terminais. Segundo reportagem do jornal “Folha de S.Paulo”, enquanto a movimentação de passageiros em aeroportos do país cresceu 21% de 2009 para 2010, queixas sobre problemas com bagagens subiram 74%.

Segundo Ruy Carneiro, o passageiro brasileiro paga muito caro para viajar e não é tratado com o devido respeito. “Não existe uma justificativa para esse aumento. E o que vemos ao longo do tempo é uma piora do serviço em todos os sentidos. Filas nos aeroportos e  extravios de bagagens”, ressaltou.

Além dessa contradição, os deputados também lembraram que não se vê ainda as esperadas obras de melhorias nos terminais visando a Copa e as Olimpíadas. Segundo Kaefer, o governo federal continua perdendo tempo, pois é preciso ações rápidas para reduzir os gargalos de infraestrutura aeroportuária. “A continuar nesse ritmo, poderemos até passar vergonha para o mundo inteiro na Copa de 2014. Desse jeito, não vamos ter infraestrutura adequada nos nossos aeroportos”, destacou.

Para o deputado, diante deste atraso nas ampliações dos terminais, a saída do Planalto é abrir a participação do setor para a iniciativa privada. Kaefer acredita que cuidar dos aeroportos não é função do estado. O tucano também criticou a iniciativa do governo de tentar acabar com as licitações para a execução de obras para atender os dois eventos esportivos. A Procuradoria Geral da República (PGR) recomendou à Infraero que evite novas modalidades de licitação. Segundo a PGR, a tentativa de mudar a licitação pode gerar questionamentos na Justiça e, na prática, atrasar as obras nos aeroportos, em vez de agilizá-las.

Falta policiamento ostensivo nos aeroportos, afirma promotor

→ Segundo a “Folha”, nem a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) nem a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) fornecem estatísticas sobre o extravio de malas. Mas o aumento das ocorrências no Aeroporto Internacional de Brasília fez o Ministério Público do Distrito Federal abrir um inquérito para apurar responsabilidades. Nos dois primeiros meses do ano, o Juizado Especial do aeroporto registrou 68 reclamações de extravios e 37 de violações ou furtos.

→ “Não é possível, no país que vai sediar a Copa, a pessoa despachar a mala e não saber se vai recebê-la de volta”, afirma o promotor Guilherme Fernandes Neto, da 4ª Promotoria de Defesa do Consumidor. “Há uma falta evidente de policiamento ostensivo dentro dos aeroportos”, completou o promotor. 

Reproduzir
baixe aqui

(Reportagem: Artur Filho/Fotos: Agência Câmara e Eduardo Lacerda/Áudio: Elyvio Blower)

Compartilhe:
14 março, 2011 Últimas notícias Sem commentários »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *