Propostas tucanas


Na TV Câmara, Nogueira volta a defender mínimo de R$ 600, reformas e reajuste da tabela do IR

O líder do PSDB na Câmara, deputado Duarte Nogueira (SP), reiterou a defesa do aumento do salário mínimo para R$ 600,00 e o reajuste da tabela do imposto de renda pelo índice da inflação do ano passado como as ações prioritárias do partido no início da legislatura. Em sua participação no programa “Brasil em Debate”, da TV Câmara, o tucano alertou ainda para a dificuldade de se aprovar as reformas institucionais diante da falta de vontade política do governo Dilma no começo de seu mandato. Apesar disso, Duarte classificou como “prioritária” a reforma política, principalmente no que diz respeito a mudanças no processo eleitoral do país.

“Precisamos avançar nessa discussão. A presidente Dilma fez um compromisso com a população que, se eleita, trabalharia nas reformas. Mas no início do ano sentimos uma calmaria da sua parte. Espero que ela mude seu comportamento e se comprometa de verdade com as reformas trabalhista, política e tributária, que são tão necessárias para o país”, ressaltou o parlamentar.

Reproduzir
baixe aqui

Em relação ao salário mínimo, o parlamentar destacou que a defesa do aumento para R$ 600,00 é uma proposta defendida pelo partido desde a campanha eleitoral. A medida provisória enviada pelo governo ao Congresso fixa o valor em R$ 538, mas a equipe de Dilma já admite uma negociação para se chegar a R$ 545. No entanto, nem legendas da base aliada ao Planalto aceitam esse valor. Segundo Duarte, enquanto não há entendimento entre o governo e a base aliada no Congresso, o PSDB já definiu sua posição sobre o tema.

O líder do partido afirmou que as receitas da Previdência foram subestimadas em 10%, o que representa R$ 17,8 bilhões não previstos no orçamento de 2011. “Em nosso partido existe entendimento, pois o PSDB defendeu na campanha esse aumento e vamos continuar apoiando esse reajuste. Há um volume de recursos que serão captados ao longo do ano pelo orçamento que permitirá a elevação do salário mínimo para R$ 600”, reforçou o deputado.

Outra proposta defendida pelo líder tucano é o reajuste da tabela do imposto de renda pelo INPC do ano passado, que foi de 5,9%. Duarte criticou o ministro da Fazenda, Guido Mantega, por declarar que não vai discutir essa questão e que o governo federal não estuda tal possibilidade. Segundo o deputado, o reajuste é necessário, pois o aumento nos preços dos alimentos foi muito maior do que o índice da inflação e em alguns casos chegou até 20%. “Quem paga o pato com o custo da inflação é sobretudo quem ganha menos”, lembrou.

Duarte reiterou ainda a necessidade de se fazer a reforma política, classificada por ele de “prioritária”. O líder do PSDB defendeu no debate na TV o fim das coligações proporcionais e um modelo de voto distrital. “Nosso sistema político atual se esvaiu. Temos que trabalhar para o fim das coligações. Podemos discutir também o voto distrital”, enumerou. (Reportagem: Letícia Bogéa/ Foto: reprodução/TV Câmara/Áudio: Elyvio Blower)

Assista a íntegra da entrevista AQUI:

Compartilhe:
2 fevereiro, 2011 Últimas notícias Sem commentários »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *