PSDB defenderá reformas e salário mínimo de R$ 600, destaca Duarte Nogueira


O partido que terá a maior bancada de oposição ao governo federal no Congresso reassume seu compromisso com as reformas primordiais para o país, como a tributária e a política, na retomada das atividades legislativas nesta terça-feira (1º). O PSDB também se unirá em defesa dos temas propostos pela legenda durante a campanha eleitoral, a exemplo do salário mínimo de R$ 600. É o que afirmou o novo líder tucano na Câmara, deputado Duarte Nogueira (SP), em entrevista exclusiva ao Diário Tucano/ Rádio PSDB.  “Vamos desde já provocar o governo para quebrar essa letargia e morosidade em relação ao empenho com as reformas”, destacou nesta segunda-feira.

A bancada que passa a ser comandada por Duarte será formada por 53 deputados eleitos em outubro e atuará em harmonia, segundo o novo líder aclamado semana passada. Em relação à gestão de Dilma Rousseff, o tucano promete uma oposição firme e construtiva, que possibilite o contraponto ao governo, as críticas aos erros e a indicação dos melhores caminhos para o país.

Reproduzir
baixe aqui

Pelo critério da proporcionalidade partidária, o PSDB terá direito a terceira escolha entre os cargos da Mesa Diretora da Casa, logo após PT e PMDB, únicos partidos com bancadas maiores. Em respeito a este princípio, Duarte já confirmou o apoio do partido ao candidato do PT, Marco Maia (RS), à Presidência da Câmara. Em reunião no último dia 26, a bancada escolheu o deputado Eduardo Gomes (TO) como representante do partido na Mesa, que será eleita nesta terça-feira após a posse dos 513 deputados. O PSDB deve ficar com a 1ª Secretaria ou com a 1ª vice-presidência.

Leia abaixo a íntegra:

O PSDB é o maior partido de oposição no Congresso. De que forma a legenda deve atuar para defender os interesses da sociedade?
O partido vai atuar unido, harmônico, de maneira organizada e muito motivada. Temos 53 deputados, uma representatividade importante e, por isso, queremos fazer da atuação da bancada um trabalho em defesa dos interesses do Brasil. Vamos procurar fazer tudo com o maior empenho para que os temas essenciais para a sociedade sejam discutidos.

Entre estes temas, quais devem ser aqueles que o partido vai tentar colocar como prioritários logo nesse início de legislatura?
Vamos começar defendendo um salário mínimo de R$ 600, como temos feito desde a campanha. Outra bandeira é pelo reajuste da tabela do imposto de renda pelo INPC  do ano passado, que foi de 5,9%. A classe trabalhadora espera por isso para que os custos da inflação não sejam ainda maiores, principalmente para os que ganham menos.

E quanto as reformas? Essa é uma bandeira que o PSDB vem defendendo ao longo dos últimos anos, mas que o governo Lula desprezou.
Vamos desde já provocar o governo para quebrar essa letargia e morosidade em relação ao empenho com as reformas. A presidente Dilma apresentou um programa na campanha eleitoral e fez seu discurso de posse defendendo as reformas, mas parou de tocar no assunto. Essas alterações são muito importantes, principalmente a política e a tributária. Nosso sistema eleitoral se esvaiu e temos que discutir sua situação. Além disso, não tem cabimento o cidadão pagar tantos impostos. O trabalhador fica sem os recursos que poderiam ser aplicados na educação, alimentação, saúde, lazer e bem-estar de seus filhos.

O partido deve usar os exemplos dos governos estaduais tucanos para mostrar que é possível fazer uma gestão pública mais eficiente?
Vamos trazer ao debate a divulgação dos programas exitosos de nossos governadores. Temos oito importantes estados governados por tucanos e certamente vamos divulgar e apoiar os bons projetos implantados. São exemplos muito bons que precisam, podem e devem ser levados para outras localidades como forma de boa gestão e de melhor  aplicação do dinheiro. Não há nenhuma política pública melhor e mais adequada que a aplicação correta, com austeridade e eficiência, dos recursos do contribuinte.

Leia AQUI o perfil do novo líder

53
deputados foram eleitos pelo PSDB em outubro. Com isso, o partido terá a 3ª maior bancada da Câmara, atrás apenas do PT e PMDB.

29
deputados tucanos foram reeleitos e 24 assumirão pela primeira vez o mandato ou retornarão à Câmara.

(Reportagem: Djan Moreno/ Foto: Paula Sholl)

Compartilhe:
31 janeiro, 2011 Últimas notícias Sem commentários »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *