Caos aéreo


Diante da incompetência do governo federal, tucanos defendem investimentos privados para melhorar aeroportos

O governo Lula não conseguiu responder à altura ao crescimento da demanda na aviação civil nos últimos anos. Os mais prejudicados com isso são os passageiros, vítimas de aeroportos sem o conforto e sem a infraestrutura necessária para um país que receberá megaeventos esportivos nos próximos anos. Diante da falta de planejamento e da incompetência petista, os deputados Alfredo Kaefer (PR) e Antonio Carlos Mendes Thame (SP) defendem que a Infraero faça parcerias com a iniciativa privada para melhorar os terminais de Norte a Sul.

Como destaca o tucano eleito pelo Paraná, os próprios especialistas apontam essa solução. “Uma delas é, inclusive, a privatização do setor, mesmo parcial, com a abertura de mercado dos aeroportos. A Infraero poderia abrir o seu capital e a Bolsa de Valores chamar sócios e acionistas disponíveis no mercado financeiro. Com isso, haveria investimentos que não precisariam ser necessariamente provenientes dos cofres públicos”, opinou Kaefer.

Reproduzir
baixe aqui

Greve pode piorar o que já é ruim

Ao destacar a greve dos aeroviários prevista para a antevéspera do Natal, o tucano lembrou que se desenha um verdadeiro caos no sistema, no qual o consumidor vai arcar com as consequências. “O governo é lento e as consequências estão aí”, lamentou. A própria Agência Nacional de Aviação Civil admitiu na tarde desta quarta-feira que os passageiros que quiserem embarcar amanhã nos aeroportos do país terão problemas e podem não conseguir chegar ao seu destino.

Assim como Kaefer, Mendes Thame acredita que uma das saídas para tirar o setor da crise é trazer investimentos privados, além de fazer um planejamento estratégico. “Tem que haver um projeto básico. Depois, o plano executivo, licença ambiental e toda a adequação estrutural. Tudo isso está ligado às obras no setor aeroviário, que já deveriam ter sido iniciadas há muito tempo”, explicou. De acordo com o parlamentar, o país vai pagar pela falta de investimentos na área nos últimos anos.  Para ele, as parcerias público privadas seriam um bom caminho para atrair recursos.

Ainda na avaliação do parlamentar por São Paulo, os recorrentes problemas no setor aéreo ocorrem há muito tempo por falta de gestão. “Boa parte deste caos que deixa os viajantes em uma situação extremamente deplorável é fruto da ausência de investimentos, de medidas e de arrojo para enfrentar o problema. Faz anos que vemos esse apagão aéreo e de lá pra cá nada foi feito”, reprovou Thame, ao condenar as promessas vazias do governo federal.

Os aeroviários prometem cruzar os braços nos principais aeroportos brasileiros a partir desta quinta-feira. Os trabalhadores pedem um reajuste salarial de 13%, mas as companhias aéreas ofereceram um aumento de 6,5%. De acordo com dados da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), o fluxo de passageiros neste ano cresceu cerca de 20% em relação a 2009. Para 2011, a demanda de passageiros pode ter alta de até 25%, dependendo de fatores econômicos. (Reportagem: Artur Filho/Fotos: Eduardo Lacerda/ Áudio: Elyvio Blower)

13%
É o percentual de reajuste exigido pelos aeroviários.

6,5%
É quanto as empresas aéreas querem conceder. Sem acordo, há sérios riscos de um verdadeiro caos nos aeroportos na antevéspera do Natal.

50,7%
É o percentual de voos atrasados nesta quarta-feira no aeroporto de Guarulhos, antes mesmo do início da greve dos aeroviários.

Compartilhe:
22 dezembro, 2010 Últimas notícias Sem commentários »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *